Poeta Carvalho Neto
De Poesia ninguém morre... se vive!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Fuga

Fugi...
Fugi da vida vivida numa redoma escura,
Fugi de mim mesmo e da minha amargura,
Da rotina triste, medíocre... comezinha,
Dos valores prescritos pela sociedade mesquinha.


Fugi...
Dos louvores estabelecidos pelos preceitos soberanos,
Da certeza que me levou à mesmice tantos anos,
Dos desejos ineptos que perduram ao vento,
Da tintura escura nas flores envernizadas pelo tempo.


Hoje...
Sou o delírio da noite enluarada,
A paixão cega pelas cores da madrugada,
O sabor dos beijos lascivos da mulher amada,
A loucura intrépida da pessoa errada.


Hoje...
Sou o barco à deriva nos portos distantes,
O segredo mais seguro dos marinheiros errantes,
O calor da paixão intensa... mais gritante,
Sou enredo, sina... perversão de amante.
 

 
Poeta Carvalho Neto
Enviado por Poeta Carvalho Neto em 16/03/2017
Alterado em 10/11/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários