Poeta Carvalho Neto
De Poesia ninguém morre... se vive!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Sampa... Kerubyn e a arte das ruas!


Kerubyn... é um artista de rua. Encanta os que têm o privilégio de assisti-lo, ao vivo, cantando livre em algum logradouro público na cidade de São Paulo. 

Tem como ponto mais usual, o Coração de Sampa: a pulsante Av. Paulista  e a tradicional rua Augusta, lugares em que senta num tosco banquinho de madeira, afina o violão e solta a voz aveludada, emocionando turistas... e, até, o próprio paulistano apressado... que demora um "bucadinho" para lhe ouvir por alguns instantes. 

O show é gratuito... sem tempo de duração. Sem outdoor ou qualquer outra mídia de divulgação. As pessoas espontaneamente (se assim o quiserem) podem gratificá-lo colocando moedinhas em um modesto saco de tecidos... momento em que o artista com um sorriso nos lábios e um gesto na cabeça, agradece a todos humildemente.

Dono de um repertório eclético (MPB) e de uma voz afinadíssima, que, certamente, Djavan, Mílton Nascimento ou qualquer dos grandes da MPB, assinariam com imenso prazer, Kerubyn passeia com leveza e harmonia pelas canções de qualquer compositor de referência, independente da época de sua criação. 

Assim, ao sair do Shopping Cidade (Av. Paulista), por volta das 21:00 h, senti o frio da capital paulistana literalmente cortado por uma melodia que parecia vir de outro mundo, tamanha a beleza... Era Kerubyn e sua música, acolhidos por alguns estudantes e transeuntes ... que, à pequena distância, degustavam extasiados a arte de um artista singular. 

Foi um momento especialíssimo em minha vida. Emocionado, o compartilhei com a minha mulher e meu filho caçula. Procurei a luz da lua e das estrela... mas, parece que, de comum acordo, resolveram se esconder naquele instante, deixando brilhar tão somente aquele artista maravilhoso. 

Algumas horas depois, na madrugada, já de volta à Teresina, no interior da aeronave da GOL, minha esposa identificou e nos chamou a atenção para a presença do cantor "Pablo". Com agasalho inteiriço, cobrindo o tronco e a cabeça, se protegia do frio e dos olhares de pretensos curiosos. Interessante, também, o staff de umas 10 pessoas, todos com visíveis camisas pretas e nome pomposo do artista grafado em letras garrafais.  

Em Teresina, já no aeroporto, vimos lustroso e moderno ônibus, plotado com o nome "Pablo" e a imagem do intérprete de "Porque Homem não Chora"... imaginei logo mais um mega show do "rei da sofrência", com ingressos caríssimos e público ávido para aplaudi-lo, fazer selfies e pedir autógrafos. 

Numa análise despretensiosa, vislumbro que Pablo tem a seu dispor uma estrutura empresarial moderna, um marketing agressivo, a mídia especializada, a logística de deslocamento para shows no País todo, a tecnologia da indústria fonográfica... e, por menos que eu não o tenha como referência musical, sua arte ocupa espaço no coração e no imaginário de seu público.

Vislumbrando toda essa estrutura de Pablo, ainda, neófito artista do show business, foi Inevitável a comparação com a singeleza das apresentações de Kerubyn... o seu jeito disponível, o modesto violão, o palco livre e democrático das ruas paulistanas. Kerubyn evidentemente somente dispõe de seu talento e de um seleto público (ocasional), que o encontra, ao acaso, nas ruas de SAMPA.

Resumindo: Pablo é o moderno show business e um modelo empresarial adequado para o segmento musical em que atua... Kerubyn é somente ARTE e MAGIA para quem se encanta com a MPB alheia às tendências comerciais.

Bem... Sem preconceito algum, saúdo a bio-diversidade da arte e da cultura popular. Mas, nos tempos modernos em que o brega-chique Pablo arrasta multidões, Brasil afora... e Wesley Safadão com seu grandiloquente repertório da mesmice (quase) sem imaginação, são as maiores atrações no Show Business... e, ambos os cantores, cada um em seu gênero e estilo, são grandes estrelas da música brasileira... foi MARAVILHOSO assistir Kerubyn cantando MPB, ao ar livre, sentado num rústico banquinho de madeira... no rosto e no corpo, o frio da capital paulistana; e no coração, o calor dos aplausos do pequeno e emocionado público presente. 

Alguns artistas de griffes são descartáveis, no decorrer do tempo... Kerubyn e sua arte serão eternos para quem degusta MPB de qualidade e já teve o prazer de ouvi-lo... Mil vezes mais Kerubyns !!!
Poeta Carvalho Neto
Enviado por Poeta Carvalho Neto em 17/06/2017
Alterado em 18/06/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários