Antônio Carvalho Neto
De Poesia ninguém morre... se vive!
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos




O Sol pode esperar



Vem bailando madrugada,
Me espera na chegada,
Traz pra mim meu benquerer.

Meu coração maltrapilho,
Insensato... andarilho,
Cansou de tanto sofrer.

Me conta os teus segredos,
Os teus sonhos e os teus medos,
Me diz... quero saber.

Faz dos teus encantos a magia,
Do teu colo a poesia,
Pra meu amor viver.

Desperta a manhã raiada,
Nos braços da mulher amada...
Bem mansinho o sol vai nascer.


 
Post Scriptum

 
Gosto muito de tercetos. As estrofes, estruturadas em três versos, emprestam-lhes harmonia, leveza, graciosidade e ritmo. 

Bem... o poeminha, aí, revela um breve diálogo entre um ser apaixonado (cansado de sofrer) e a acolhedora madrugada. E, siceramente, conversar com a madrugada é coisa de poeta insone, sem ter o que fazer! 




 
Antônio Carvalho Neto
Enviado por Antônio Carvalho Neto em 16/12/2017
Alterado em 04/03/2018
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários